Fisioterapeuta : Tatiana Campos Rocha CREFITO 4/21. 926 F

Pré e Pós-Operatórios

A fisioterapia tem um papel fundamental no pré e no pós-operatório de cirurgias plásticas. Por mais que pareça desnecessária, a fisioterapia pré-operatória é de extrema importância. Neste caso, o fisioterapeuta avaliará fatores relacionados às disfunções estéticas como alterações posturais. Um abdome protuso, por exemplo, causado por um desvio de coluna deve ser corrigido, pois mesmo após a cirurgia plástica a protusão permanecerá. Pacientes que já realizaram alguma cirurgia plástica e desejam realizar outra no mesmo local, deve ser avaliado quanto a presença de fibroses e aderências cicatriciais. Ao serem submetidos à nova incisão cirúrgica a freqüência de irregularidades é maior visto que o tecido em cicatrização não foi tratado. O ideal neste caso é tratar as fibroses antes de uma nova cirurgia. Além disso, é avaliado também, presença de celulite e redução da mobilidade articular e muscular. Na primeira opção, deve-se esclarecer que a celulite não será tratada com a cirurgia e pode até ser agravada. No caso da segunda, sessões de alongamento devem ser feitas.

No tratamento pós-operatório, os recursos fisioterápicos diminuem o tempo de repouso, restauram a funcionalidade e aceleram a recuperação. Dor, edema e inflamação fazem parte do processo de reparo e é dever do fisioterapeuta orientar o paciente quanto à importância do tratamento e dos cuidados com a pele, do uso de cremes, pomadas, fitas de silicone, cintas entre outros utensílios receitados pelos cirurgiões. As modalidades terapêuticas mais utilizadas são Drenagem Linfática Manual, Ultra-som, Endermoterapia, Radiofrequência, cinesioterapia (técnicas de alongamento), massoterapia e técnicas de liberação tecidual.

Dentre as cirurgias plásticas mais comuns estão:

• Lipoaspiração;
• Lipoenxertia;
• Abdominoplastia;
• Mamaplastia;
• Blefaroplastia;
• Rinoplastia;
• Rejuvenescimento facial.